terça-feira, 9 de novembro de 2010

FICHA: Comer, Rezar, Amar

" No amor desesperado é sempre assim, não é? No amor desesperado, nós sempre inventamos os personagens dos nossos parceiros exigindo que eles sejam o que precisamos que sejam, e depois ficamos arrasados quando eles se recusam a desempenhar o papel que nós mesmos criamos."


Autor(a): Elizabeth Gilbert
Editora: Objetiva
Ano: 2007
Número de Páginas: 400
Título Original: EAT, PRAY, LOVE
ISBN: 9788573028300
Filme: Com título homônimo e estreado por Julia Roberts
Jogo: Não.
Indicado para: Quem gosta de livros com mais reflexão e menos enredo.
Contra-indicado para: Quem fica entediado com histórias lentas, permeada de pensamentos e reflexões do personagem e com leve tendência dramática.
Livros Relacionados: Beber, Jogar, F@#er, de Andrew Gottlieb, é uma versão masculina e bem humorada de Comer, Rezar, Amar.

O livro

Trata-se de uma mulher que enfrenta um período difícil na vida, com um divórcio seguido por um caso de amor mal resolvido, e resolve viajar para buscar a si mesma. Inicialmente ela vai à Itália, em busca do prazer que ela encontra na comida e na língua italiana, engorda, se diverte e faz amigos. Em seguida vai para a Índia desenvolver sua espiritualidade, vivenciando momentos transcendentais. Por último vai para a Indonésia, onde procura o equilíbrio entre o prazer e a espiritualidade, e se apaixona novamente (por um brasileiro!).

Resumo
(Atenção: Não leia se não quiser saber a história e o final do livro!)

Liz, a personagem principal, acabou de passar por um divórcio e um caso de amor que também não está indo bem, com idas e voltas. Ela recebe um convite de uma revista para ir à Indonésia e conhece um xamã, que lê sua mão e diz que ela voltará em breve e poderá se hospedar em sua casa. Ela volta para New York, o marido assina o divórcio e leva boa parte do seu dinheiro, porém uma editora paga adiantado para que ela escreva um livro durante a viagem de um ano que deseja fazer, então ela parte para a Itália.

Ela conhece várias pessoas e pratica o italiano, língua que adora. Passeia pela cidade, faz muitos amigos e come o que há de melhor da culinária de lá, engordando bastante. O próximo destino é a Índia, onde vai para um templo. Desenvolve-se espiritualmente, e passa a compreender e aceitar melhor a si mesma.

Vai então para a Indonésia, onde vai todos os dias ver o mesmo xamã que previu que ela voltaria. Em um desses dias é atropelada e sofre um corte no joelho, conhece então a médica Wayan, de quem fica amiga. Como Wayan está com problemas financeiros e será despejada, Liz escreve um e-mail pedindo doação para todos que conhecia e consegue comprar uma casa para a médica. Ela conhece também um brasileiro chamado Felipe, por quem se apaixona.

Opinião Pessoal

Embora a história tenha uma leve tendência ao drama, a autora consegue equilibrar bem o livro com um ar leve e cômico, usando metáforas hilárias e bom humor. É interessante ver a impressão dela sobre os países e culturas que visita. Algumas reflexões da autora são interessantes e dignas de nota. Infelizmente, algumas vezes o livro se perde em divagações e explicações demais, assumindo um ar excessivamente reflexivo ou didático, e se arrastando desnecessariamente em algumas partes. Mas é uma boa opção para se distrair, possibilitando até algumas risadas.

0 comentários: